Loader
Dia Internacional da Mulher: a Mulher no Brasil - Global Packing
1268
post-template-default,single,single-post,postid-1268,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive
 

Dia Internacional da Mulher: a Mulher no Brasil

Neste domingo, comemoramos o Dia Internacional da Mulher e nós da Global Packing Moving & Relocation não poderíamos deixar a data passar despercebida. O 8 de março, que anualmente faz a sociedade refletir sobre as mulheres, é muito mais do que uma data simbólica. Mais que isso, o 8 de março nos lembra da luta feminina internacional, que a menos de 100 anos conquistava o sufrágio e ainda hoje briga por direitos equânimes.

Na maioria das vezes, em face às triplas jornadas de trabalho, a mulher trabalha, encarrega-se da vida doméstica e do cuidado dos filhos. Não é à toa que hoje a mulher brasileira trabalha em média 3,1 horas a mais que os homens, estatística ruim mas que apresenta melhora em relação aos últimos 5 anos, visto que em 2015 a diferença entre jornadas masculina e feminina era de 7,5 horas no Brasil.

Além disso, a tripla jornada é agravada quando percebemos que mais de 40% das famílias brasileiras são chefiadas por mulheres, em 11 milhões de casos, sozinhas. A vida social da mulher é sobrecarregada e, se pensarmos a vida doméstica e familiar como frutos de trabalho que são, em 66% do tempo não é remunerada.

Por outro lado, a condição feminina acompanhada de um parceiro não é livre de questões. Afinal, a cada 2 minutos uma mulher é vítima de violência no Brasil. No último ano o feminicídio – assim chamado o homicídio de mulheres guiado pela misoginia e ódio de gênero – cresceu 7,2%, sendo 3 a cada 4 mulheres causado por companheiros ou ex-companheiros. Por fim, a situação mais vulnerável é a da mulher negra brasileira: o feminicídio de mulheres brancas caiu em 9,8%, o feminicídio contra mulheres negras, segundo o Mapa da Violência de 2015, aumentou 54,2%.

Desse modo, fica clara a importância de levantar discussões sobre a questão da mulher principalmente durante o mês de março. São 110 anos da instituição de uma data internacional comemorativa para o Dia da Mulher. São muitos direitos conquistados, mas ainda muitos por conquistar para garantir à existência feminina dignidade, respeito e igualdade. Nós da Global Packing nos atentamos à necessidade da mudança da condição da mulher na sociedade e procuramos por todos os meios reconhecer e valorizar o papel da mulher não apenas no Brasil, como na empresa. Além disso, acreditamos na importância de levantar essas discussões enquanto empresa brasileira e por isso nos dedicamos nesse mês de março à série Mulheres Globais, #GLOBALwomen. Por isso, nas semanas desse mês, procuraremos suscitar debates e explorar o papel e a condição da mulher no Brasil, no mundo e no meio das mudanças.

Que as estatísticas não frustrem nossas expectativas, mas confiram razões à sociedade e às mulheres para lutar por um mundo de igualdade de gênero! Acompanhe nossa série #GLOBALwomen.

Feliz Dia Internacional da Mulher!

No Comments

Comente